quarta-feira, 22 de abril de 2009

PESQUISA I - ASPECTOS NATURAIS E POPULACIONAIS DOS CONTINENTES.

1 - AMÉRICA ANGLO-SAXÔNICA:

1.1 - Relevo:

O relevo da América Anglo-Saxônica, pode ser dividido em três porções bem definidas:
- A Porção Ocidental = É ocupada por altas cadeias montanhosas, onde há vulcões ativos e terremotos, e extensos planaltos intermontanos. As principais cadeias montanhosas são a cadeia da Costa, a Sierra Nevada e as Montanhas Rochosas. Entre os planaltos, destacam-se o do Colorado e a Grande Bacia.
- A Porção Oriental = É ocupada por planaltos e montanhas muito antigos, caracterizados por um intenso processo erosivo. Entre eles destacam-se o planalto do Labrador, no Canadá, e os Montes Apalaches, nos Estados Unidos.
- A Porção Central = É constituída por extensas planícies, repletas de lagos e rios. As principais unidades são a planície do Mississipi, no sul dos Estados Unidos, e a planície dos Grandes Lagos, entre os Estados Unidos e o Canadá.(Fonte: GARCIA, Hélio Carlos, Geografia, O Espaço Geográfico da América, Oceania e Regiões Polares, Ed. Scipione, São Paulo, SP, 2002.)





Monte McKinley (ou Denali) - Pico mais alto da América Anglo-Saxônica - situado no Alasca.

A crosta terrestre se divide em mais de uma dezena de placas rígidas, cada qual com aproximadamente 100 Km de profundidade, denominadas placas tectônicas. Nos Estados Unidos,a área mais atingida por terremotos é a Califórnia, onde se localiza a falha de San Andreas, no contato entre duas placas tectônicas. Nesse estado, se situam Los Angeles e São Francisco, duas das maiores cidades Norte-Americanas.

* FALHA DE SAN ANDREAS = Tendo como linha divisória a Falha de San Andreas, na Califórnia, duas gigantescas massas de terra conhecidas como Placa do Pacífico e Placa Norte-Americana, comprimem-se e passam deslizando uma pela outra na mesma velocidade que nossas unhas crescem. Em cerca de 15 milhões e anos, Los Angeles e São Francisco ficarão diretamente lado a lado (...). (Fonte: BRODY, David Eliot; BRODY, Arnold R. As Sete maiores descobertas científicas da história e seus autores. São Paulo: Cia das Letras, 1999. p. 287.)


1.2 - Hidrografia:

* C A N A D Á:

O Canadá é muito rico em lagos, a maioria de origem glacial. Estima-se que no país existam cerca de 150 mil lagos, que ocupam, ao todo, uma área de aproximadamente 800 mil quilômetros quadrados, equivalente a 8% do território canadense.
A mais importante formação lacustre da América Anglo-Saxônica são os Grandes Lagos, situados entre o Canadá e os Estados Unidos, composto de cinco grandes lagos: Superior, Michigan, Huron, Erie e Ontário. O maior deles é o Superior, com 84 mil quilômetros quadrados de extensão.
O rio mais importante do Canadá, principalmente para a navegação, é o São Lourenço, entre outros fatores, por funcionar como hidrovia entre os Grandes Lagos e o oceano Atlântico.(Fonte: GARCIA, Hélio Carlos, Geografia, O Espaço Geográfico da América, Oceania e Regiões Polares, Ed. Scipione, São Paulo, SP, 2002.)




IMAGEM DE SATÉLITE MOSTRANDO A REGIÃO DOS GRANDES LAGOS LOCALIZADOS ENTRE OS ESTADOS UNIDOS E O CANADÁ.


LAGO MICHIGAN - UM DOS GRANDES LAGOS.


LAGO ONTÁRIO - UM DOS GRANDES LAGOS.


RIO SÃO LOURENÇO - CANADÁ

* ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA:

Nos Estados Unidos, o rio mais navegado é o Mississipi. Ele nasce no lago Itasca, no norte do país, atravessa as planícies centrais e deságua no Golfo do México, formando um imenso delta, onde está situada a cidade de Nova Orleans.O rio Mississipi, é o segundo mais longo rio dos Estados Unidos da América. O mais longo é o rio Missouri, afluente do Mississipi. Juntos formam a maior bacia hidrográfica da América do Norte. Quando medido da nascente do Missouri, o comprimento total do conjunto Missouri-Mississipi é de aproximadamente 6.270 Km.A origem do nome Mississipi vem da língua ojibwe misi-ziibi que significa "grande rio". As maiores cidades ao longo do rio Mississipi sâo: Minneapólis, St. Paul, Davenport, St. Louis, Menphis, Baton Rouge e Nova Orleans.(Fonte: www.wikipedia.com.br)
Entre os demais rios norte-americanos, destacam-se aqueles que atravessam os planaltos intermontanos do oeste do país. Os rios Colorado e Colúmbia, por exemplo, são muito utilizados para a irrigação e produção de energia hidrelétrica.
(Fonte: GARCIA, Hélio Carlos, Geografia, O Espaço Geográfico da América, Oceania e Regiões Polares, Ed. Scipione, São Paulo, SP, 2002.)

MAPA COM OS PRINCIPAIS RIOS DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA.


NASCENTE DO RIO MISSISSIPI NO LAGO ITASCA - ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA.


RIO MISSISSIPI NA REGIÃO DE ST. LOUIS - ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA.

1.3 - O Clima e a Vegetação:

A América Anglo-Saxônica apresenta uma grande diversidade climática, consequência de fatores como a localização geográfica, a altitude, a disposição do relevo e as correntes marítimas. A localização geográfica faz com que ocorram climas típico das zonas climáticas glacial (polar); temperada (temperado e mediterrâneo) e intertropical (subtropical. Já a altitude contribui para a ocorrência de frio - típico de zonas glaciais (nas Montanhas Rochosas, por exemplo.
Quanto a disposição do relevo, verifica-se a existência de climas secos (áridos e semi-áridos)nos planaltos intermontanos do Oeste dos Estados Unidos. Um exemplo da influência da disposição do relevo nas condições climáticas da América Anglo-Saxônica é a existência , no sudoeste dos Estados Unidos, de desertos muito secos.O clima da América Anglo Saxônica sofre ainda com a ação das correntes marítimas. As temperaturas são mais baixas na costa leste do Canadá do que em outras áreas situadas na mesma latitude, resultado da ação da corrente fria do Labrador.
No norte, predomina o clima polar, cujas características são os invernos longos e rigorosos; os verões curtos e relativamente frios (as médias de verão não ultrapassam os 8º C. Nesse domínio climático a vegetação típica é a Tundra. Ao sul desse domínio, no Canadá e no Alasca, constata-se o clima frio, com precipitações anuais entre 200 mm e 1000 mm (média de inverno -10º C e a de verão 10º C. A vegetação característica é a Floresta Boreal. Já ao sul da floresta boreal, o clima é temperado. As estações do ano são bem definidas, e as chuvas, regularmente distribuídas ao longo do ano. As temepraturas variam de uma região para a outra devido a fatores como a maior ou menor influência de massas de ar úmidas provenientes do litoral. Predomina uma exuberante Floresta Temperada e para o interior, vastas extensões de estepes e pradarias.
No sudeste dos Estados Unidos (Flórida) o clima é subtropical, com chuvas abundantes o ano todo e temperaturas médias que oscilam entre 10º C no inverno e 20º C no verão. No sudoeste (Califórnia), ocorre o clima mediterrâneo, onde as chuvas se concentram no inverno e as temperaturas médias de inverno oscilam entre 15º C e 20º C. No sudeste dos Estados Unidos , florestas e pântanos são muito comuns, já na Califórnia, predomina vegetação arbustiva.
Nos planaltos do oeste norte-americano, situados entre montanhas, o clima predominante é o semi-árido. a vegetação é composta de xerófilas, espécies típicas de áreas onde chove pouco.
(Fonte: GARCIA, Hélio Carlos, Geografia, O Espaço Geográfico da América, Oceania e Regiões Polares, Ed. Scipione, São Paulo, SP, 2002.)

(Fonte: Adap. FERREIRA, Graça Maria Lemos; MARTINELLI,Marcelo. Moderno Atlas Geográfico. 3ª Ed. - São Paulo, SP: Ed. Moderna, 2000 p. 50).


(Fonte: Adap. FERREIRA, Graça Maria Lemos; MARTINELLI,Marcelo. Moderno Atlas Geográfico. 3ª Ed. - São Paulo, SP: Ed. Moderna, 2000 p. 50).


TUNDRA NO ALASCA - E.U.A (A tundra aparece em regiões situadas entre os 60º e 75° de latitude norte - na Sibéria, Escandinávia, Alasca, Canadá e Groelândia.)

FLORESTA BOREAL - CANADÁ ( Floresta boreal, ou floresta de coniferas, ou ainda taiga é encontrada no Alasca, Canadá, sul da Groelândia, Países Escandinavos, Sibéria e Japão - a maior floresta do mundo é a taiga siberiana). (fonte: www.wikipedia.com.br).

FLORESTA TEMPERADA NOS ESTADOS UNIDOS (vegetação de clima temperado).
(fonte: www.wikipedia.com.br).

PRADARIA - INTERIOR DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA.
(fonte: www.wikipedia.com.br).

ESTEPES - NOS ESTADOS UNIDOS ( estepes e pradarias são vegetações de planície sem árvores, porém as pradarias possuem gramíneas mais altas em relação as estepes, por conseguir um pouco mais de umidade em seu habitat.)
(fonte: www.wikipedia.com.br).

PÂNTANO NA FLORIDA - ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA.
(fonte: www.wikipedia.com.br).

DESERTO DO ARIZONA - ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA.
(fonte: www.wikipedia.com.br).

1.4 - População:

* CANADÁ:
o Canadá é o maior país da América, sendo mais extenso do que o Brasil, mas a sua população é cinco vezes menor do que do nosso país.Em 2002 a população total do Canadá era de 32 milhões de habitantes(população absoluta), pequena para seu imenso território de 9,2 milhões de quilômetros quadrados, isso dá uma densidade demográfica (população relativa)de apenas 3,5 habitantes por quilômetros quadrados. A população canadense concentra-se ao longo da fronteira com os Estados Unidos da américa, portanto a densidade demográfica é maior junto aos Grandes Lagos e ao Vale do São Lourenço. No norte do Canadá, os invernos rigorosos e longos dificultam o povoamento.


A maioria da população canadense é branca e de origem européia, destacam-se, entre os demais grupos, os povos indígenas, os esquimós (inuits) e os asiáticos. Entre os grupos europeus, são mais numerosos os descendentes de britânicos, que perfazem cerca de 40% da população, e os canadenses de origem francesa, que representam aproximadamente 25% da população e concentram-se na província de Québec.
O predomínio desses dois grupos explica a existência de duas línguas oficiais no país: o inglês e o francês. A diversidade de nacionalidades e a pequena integração entre elas são constantes ameaças à unidade nacional do Canadá, que se mantém desde o período colonial. Cerca de 80% da população do Canadá é urbana, como reflexo de uma poderosa economia industrial e da elevada mecanização das atividades rurais. As maiores cidades são Toronto (Ontário), com mais de 4,5 milhões de habitantes, e Montreal (Québec), com mais de 3,5 milhões de habitantes.

TORONTO - CAPITAL DA PROVÍNCIA DE ONTÁRIO - CANADÁ.


MONTREAL - PROVÍNCIA DE QUÉBEC - CANADÁ.

Em 2002, a taxa de crescimento vegetativo da população canadense era muito pequena (0,35% ao ano), em razão de uma baixa fecundidade (o número médio de filhos por mulher nesse ano era de 1,6)e consequentemente de uma baixa taxa de natalidade, 1,11% (Dados do U.S. Census Bureau).
A taxa de crescimento demográfico canadense é mais elevada do que sua taxa de crescimento vegetativo, pelo fato de a entrada de imigrantes no país ser muito superior ao número de emigrantes.Em função da baixa natalidade e da elevada expectativa de vida (que em 2002 era de 80 anos) a estrutura etária da população canadense é marcada por um elevado número de idosos. No mesmo ano cerca de 14,5% da população tinha mais de 65 anos de idade. (Fonte: GARCIA, Hélio Carlos, Geografia, O Espaço Geográfico da América, Oceania e Regiões Polares, Ed. Scipione, São Paulo, SP, 2002.)

2- AMÉRICA DO NORTE (MÉXICO):
2.1 Relevo:

O relevo do México é caracterizado pelo predomínio do extenso planalto mexicano, que ocupa aproximadamente dois terços do território. Duas formações montanhosas recentes circundam esse planalto: a Sierra Madre Ocidental e a Sierra Madre Oriental. Sua porção central é denominada planalto de Anáhuac e apresenta altitudes superiores a 2000 m e solos férteis, de origem vulcânica, muito utilizados para a agricultura. É nessa porção do relevo que se situa a Cidade do México.

MÉXICO - RELEVO E HIDROGRAFIA
(Fonte: SIMIELLI, Maria Helena. Geoatlas, 3ª Ed. São Paulo: Ática, 2000. p. 32)

2.2 - Hidrografia:
O México apresenta poucos rios de grande volume e extensão, devido a acidentalidade do relevo e a ocorrência de climas áridos em vastas áreas do país. Os principais rios mexicanos são o Lerma, Río Bravo del Norte (também conhecido como Rio Grande), o Grijalva, o Balsas e o Yaqui

PERCURSO DO RIO GRANDE - LOCALIZADO ENTRE O MÉXICO E OS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
(Fonte: www.static.howstuffworks.com)


IMAGEM DO RIO GRANDE - MÉXICO
(Fonte: www.reblrdnk.com/images/Rio Grande02jpg)

2.3 - O Clima e a Vegetação:
Grande parte do país possui clima do tipo árido e semi-árido. O país abrange uma diversidade de formação vegetativa, que varia de acordo com a localização geográfica, tipo de relevo e a altitude. A localização geográfica interfere nas formações climáticas, por essa razão no centro-sul do país o clima é o tropical, uma vez que essa área se encontra na zona intertropical da Terra, faixa climática que recebe uma quantidade maior de luz solar. O relevo é determinante no surgimento de desertos como o de Chihuahua, localizado ao norte do território. Isso porque os conjuntos montanhosos impedem que as massas de ar cheguem até o interior do território. As formações vegetais que mais se destacam são os estepes, arbustos xerófilos, savanas e florestas tropicais.
( Fonte: www.brasilescola.com)

LOCALIZAÇÃO DO DESERTO DE CHIHUAHUA - MÉXICO
(Fonte: www.upload.wikimedia.org)


DESERTO DE CHIHUAHUA - MÉXICO
(Fonte: www.bergoiata.org)
2.4 - População:
O território mexicano, antes da ocupação e colonização espanhola, era habitado por várias civilizações, destacando-se, pela extensão de seus domínios e por sua evolução cultural, a asteca.
A civilização asteca é resultado da incorporação do conhecimento das várias civilizações que se desenvolveram no território mexicano ao longo da história. Os astecas tiveram como predecessores os toltecas, que viviam originalmente no norte do México. Fixaram-se no planalto Anáhuac, no início do século XIV, em uma ilha situada no lago Texcoco. Nessa ilha fundaram sua capital, a cidade de Tenochtitlán. Do século XIV ao século XV, os astecas conquistaram todo o planalto de Anáhuac e formaram um grande império, que se estendia do pacífico ao Atlântico, limitado ao norte pelos desertos e ao sul pelo domínio maia, na península de Iucatã.
A sociedade asteca era rigidamente dividida. O grupo social dos pipiltin (nobreza) era formada pela família real, sacerdotes, chefes de grupos guerreiros — como os Jaguares e as Águias — e chefes dos calpulli. Podiam participar também alguns plebeus (macehualtin) que tivessem realizado algum ato extraordinário. Tomar chocolate quente (xocoatl) era um privilégio da nobreza. O resto da população era constituída de lavradores e artesãos. Havia, também, escravos (tlacotin).

Havia, na ordem, começando do plano mais baixo:

Escravos
maceualli ou calpulli (membro do clã)
artesãos e comerciantes
pochtecas (grandes comerciantes)
sacerdotes, dignitários civis e militares.

Os imperadores astecas em língua Nahuatl eram chamados Hueyi Tlatoani ("O Grande Orador"), termo também usado para designar os governantes das altepetl (cidades). Os imperadores astecas foram os maiores responsáveis tanto pelo crescimento do império, como para a decadência do mesmo. Ahuizotl, por exemplo, foi ao mesmo tempo o imperador mais cruel e o responsável pela maior expansão do império. Já Montezuma II (ou Moctezuma II), tendo sido um imperador justo e pacifico, foi também fraco em suas decisões, permitindo que os espanhóis entrassem em seus domínios, mesmo após a circulação de histórias de que estes teriam massacrado tribos, abalando fatalmente a solidez de seu império, e finalmente degenerando na sua extinção.

A sucessão dos imperadores astecas não era hereditária de pai para filho, sendo estes eleitos por um consenso entre os membros da nobreza.


Imperadores
Acamapichitli (1376–1395)
Huitzilíhuitl (1395–1417)
Chimalpopoca (1417–1427)
Itzcóatl (1427-1440)
Montezuma I (1440-1469)
Axayacatl (1469-1481)
Tízoc (1481-1486)
Ahuizotl (1486-1502)
Montezuma II (1502-1520)
Cuitláhuac (1520)
Cuauhtémoc (1520-1521)

Eram politeístas (acreditavam em vários deuses) e acreditavam que se o sangue humano não fosse oferecido ao Sol, a engrenagem do mundo deixaria de funcionar.

Os sacrifícios eram dedicados a :

Huitzilopochtli ou Tezcatlipoca: o sacrificado era colocado em uma pedra por quatro sacerdotes, e um quinto sacerdote extraía, com uma faca, o coração do guerreiro vivo para alimentar seu deus;
Tlaloc: anualmente eram sacrificadas crianças no cume da montanha. Acreditava-se que quanto mais as crianças chorassem, mais chuva o deus proveria.
No seu panteão havia centenas de deuses. Os principais eram vinculados ao ciclo solar e à atividade agrícola. Observações astronômicas e estudo dos calendários faziam parte do conhecimento dos sacerdotes.

O deus mais venerado era Quetzalcóatl, a serpente emplumada. Os sacerdotes formavam um poderoso grupo social, encarregado de orientar a educação dos nobres, fazer previsões e dirigir as cerimônias rituais. A religiosidade asteca incluía a prática de sacrifícios. Segundo o divulgado pelos conquistadores o derramamento de sangue e a oferenda do coração de animais e de seres humanos eram ritos imprescindíveis para satisfazer os deuses, contudo se considerarmos a relação da religião com a medicina encontraremos um sem número de ritos.
(Fonte: www.wikipedia.com.br)
Há referências a um deus sem face, invisível e impalpável, desprovido de história mítica para quem o rei de Texoco, Nezaucoyoatl, mandou fazer um templo sem ídolos, apenas uma torre. Esse rei o definia como "aquele, graças a quem nós vivemos".

MAPA CONTENDO A EXTENSÃO DO IMPÉRIO ASTECA NO MÉXICO
(Fonte: www.wikipedia.com.br)

RECONSTITUIÇÃO DA CAPITAL DO IMPÉRIO ASTECA.
(Fonte: www.mps.onne.com.br)

Um comentário: